Pixinguinha (Album, LP) capa, cover

Pixinguinha e sua Orquestra, Alegria

Embora não tivesse sido gravado com a intenção, Alegria – Pixinguinha (1960), reúne várias marchas de carnaval, quase em sua totalidade de autoria de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira, tornando-se assim um “disco carnavalesco”.

“Fala Mangueira” (Mirabeau – Milton de Oliveira)

Pixinguinha é um nome por demais conhecido do público brasileiro para que precisemos, muito ingenuamente, com ares de quem está descobrindo a pólvora, alinhar quaisquer dados informativos ou bordar adjetivos laudatórios em torno desse gigante da nossa música popular. Pixinguinha é Pixinguinha, e está dito tudo.

Mas o que é preciso que se diga é que os vinte e quatro números que vocês aqui ouvirão e a cujo som gostosamente dançarão receberam, todos eles, um toque a mais de graça e de fascínio, uma pincelada extra de colorido, uma parcela nova na soma de atrativos que cada um dêles já trouxe desde os berço. É que todas as faixas do presente LP são apresentadas em estupendos arranjos da autoria dêsse extraordinariamente grande crioulo, grande no físico e no talento, um dos maiores nomes da música popular brasileira em todos os tempos.

“Alegria” não tinha, propriamente, a intenção de ser um disco carnavalesco, mas como alegria e carnaval, ao menos no Brasil e ainda mais na terra da Guanabara, são quase sinônimos, de parentesco muito afim, sucedeu que tôdas ou quase tôdas as suas doze faixas, desdobradas em vinte e quatro melodias, são músicas de carnaval.

O que a Musidisc, portanto, aqui lhes oferece é uma soberba coleção de músicas momescas, duas dúzias de sucessos carnavalescos em vários anos, alguns um pouco recuados no tempo, outros surgidos em carnavais mais recentes, mas todos magistralmente revividos pela orquestra completa do formidável Pixinguinha numa sucessão eletrizante de graça e ritmo.

Vamos, pois, ao som dessa música vibrante, reviver os carnavais que se foram, tão cheios de recordações para muitos de nós! A orquestra está a postos, a batuta do grande maestro Pixinguinha está erguida! Não deixemos que elas esperem por nós!

Sebastião Fonseca
contracapa


spotify | youtube

/info

“Alegria” – Pixinguinha e sua Orquestra (LP Musidisc, Hi-Fi 2051, 1960)

Pixinguinha (Album, LP) capa, cover
capa: Joselito | foto: Mafra

Lado A – “Eva” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “Miau… miau” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “Serpentina” (Haroldo Lobo – David Nasser), “Índio quer apito” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “A Maria tá” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira – Jair Noronha), “A mulher do leiteiro” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “O passo do canguru” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “O passarinho do relógio” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “Toureiro” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “Allah-la-ô” (Nássara – Haroldo Lôbo); “Andorinha” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “Nêga do Congo” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira).

Lado B – “Fala Mangueira” (Mirabeau – Milton de Oliveira), “Senhor comissário” (Haroldo Lobo – Benedito Lacerda); “Obsessão” (Mirabeau – Milton de Oliveira), “Rosalina” (Haroldo Lobo – Wilson Batista); “Cala a bôca” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “Reza por nosso amor” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “Não tenho lágrimas” (Max Bulhões – Milton de Oliveira), “O relógio bateu cinco horas” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira); “P’ra seu govêrno” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira), “Juro” (Milton de Oliveira – Haroldo Lobo); “Sabiá laranjeira” (Milton de Oliveira – Max Bulhões), “Quebrei a jura” (Haroldo Lobo – Milton de Oliveira).


Produzido e gravado no Brasil por Nilo Sérgio, Luiz Bittencourt (produtor associado), Joselito (capa), Mafra (foto).

/relacionados

Marcelo Oliveira
Marcelo Oliveira

Sou carioca, mangueirense e botafoguense. Meu objetivo com o blog é preservar a memória do SAMBA!

/novidades

Receba todas as novas publicações do blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *